relatório anual 2017

Após 3 anos de recessão que provocou enorme dano socioeconômico e um contingente de 13 milhões de desempregados, a economia brasileira, impulsionada por safra recorde em nossa história, apresentou os primeiros sinais de recuperação ao longo de 2017. Embora a evolução do PIB tenha sido modesta, cerca de 1%, todas nossas operações apresentaram sensível evolução positiva.

O tráfego nas nossas rodovias cresceu 3%, as vendas em nossos shoppings 7,5%, as da nossa incorporadora imobiliária 10% e o volume de cargas em nossas ferrovias 19%, indicadores inequívocos do processo de recuperação econômica. Essa performance, embora ainda indicadora apenas do início do processo de recuperação do País, somada aos efeitos dos novos ativos incorporados ao nosso portfólio e aos elevados investimentos que maturaram no período, levaram ao crescimento de nosso EBITDA em quase 110%, comparado ao ano anterior.

Esses resultados, que confirmam a correção da estratégia adotada nos últimos anos de expansão dos investimentos no momento em que o País atravessava seríssimas adversidades, são também
o testemunho de apoio e confiança de nossos investidores, financiadores e parceiros no Brasil e na sua capacidade de superar as dificuldades.

Nossas diversas unidades investiram cerca de R$ 5 bilhões em expansão de suas atividades: inauguramos novo terminal da VLI em Santos, uma usina hidroelétrica de geração de energia e uma térmica movida a bagaço de cana, finalizamos o novo edifício sede da L’Oréal no Rio de Janeiro e o Nações Unidas 17007 em São Paulo, entregamos os primeiros 520 km (de um total de 4.300 km) de linhas de transmissão de energia elétrica, concluímos a duplicação da Serra do Cafezal na rodovia Régis Bittencourt e de outros trechos na Autopista Fluminense, na Intervias e na Autovias, finalizamos 16 empreendimentos imobiliários totalizando 3,4 mil unidades e expandimos nossa área agrícola no estado do Maranhão.

Nossos investimentos em aquisições ultrapassaram R$ 20 bilhões em 2017. Completamos a compra da NTS, rede de gasodutos na região Sudeste do Brasil, investimento de aproximadamente R$ 16 bilhões, bem como da BRK Ambiental, onde investimos cerca de R$ 3 bilhões em conjunto com nossos parceiros. Adicionamos ao nosso portfólio um novo prédio comercial de alto padrão (a Torre B do complexo EZ Towers, em São Paulo), por R$ 670 milhões, e incorporamos mais 300 MW de capacidade de geração de energia, distribuídos em 14 novos parques eólicos no estado da Bahia, oriundos da aquisição da TerraForm Global.

Embora o cenário de 2018 guarde muita incerteza política, notadamente relacionada com as eleições gerais que ocorrerão em outubro, estamos confiantes que a elevada resiliência do nosso portfólio, combinada ao foco em excelência operacional e conservadores níveis de endividamento, nos permitirão colher nos próximos anos os resultados dos investimentos realizados.

Central de compressão de gás da NTS; Estação de tratamento de esgoto da BRK Ambiental.

Pessoalmente, encerro meu ciclo como CEO da Brookfield Brasil, passando à posição de Executive Chairman, transmitindo o cargo que ocupei nos últimos 10 anos ao colega Henrique Carsalade Martins. Faço essa transição com enorme alegria, tanto pelo prazer de ter vivido anos tão intensos e profícuos para nossa empresa, quanto pela possibilidade de transmitir a função a alguém que combina a energia e a vitalidade da idade com a capacidade e discernimento profissional.

A todos que participaram dessa construção, registro aqui minha eterna gratidão. Aos nossos investidores, financiadores e acionistas, bem como nossos milhares de funcionários que fizeram tudo isso ser possível, nossos mais sinceros agradecimentos.

LUIZ I. SIMÕES LOPES