relatório anual 2017

Edifício Curitiba 381, São Paulo

TEGRA INCORPORADORA

O ano de 2017 foi de importantes mudanças para a nossa operação de incorporação imobiliária. Depois de um grande processo de reestruturação interna, que envolveu a redefinição de estratégias comerciais, aperfeiçoamento de processos e ênfase em cultura corporativa alinhada com os desafios do mercado, adotamos nova denominação: Tegra Incorporadora.

Em 2017, a Tegra completou 40 anos de atuação no mercado brasileiro, período em que já entregou quase 100 mil imóveis, que somam aproximadamente 24 milhões de metros quadrados construídos. A companhia emprega em torno de 1 mil funcionários em suas operações e tem como focos prioritários os mercados de São Paulo, Rio de Janeiro e Campinas.

OPERAÇÕES

O mercado de incorporação imobiliária apresentou leves sinais de recuperação em 2017. Segundo dados da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), entre novembro de 2016 e novembro de 2017, o setor registrou um aumento de 9% no volume total de lançamentos, enquanto as vendas tiveram crescimento de pouco mais de 5% na mesma base de comparação. A falta de uma regulamentação clara sobre a questão dos chamados distratos – e a consequente margem para interpretações equivocadas sobre o tema – continuou sendo um fator de preocupação do setor. No caso de imóveis considerados de médio e alto padrão, o índice de distratos chegou próximo de 45% no acumulado do ano, ainda de acordo com os dados da Abrainc.

A Tegra, por sua vez, encerrou 2017 com vendas de aproximadamente R$ 1,6 bilhão, montante 10% superior ao apurado em 2016. Ao longo do ano, entregamos 16 empreendimentos, que somam 3,4 mil unidades e aproximadamente 500 mil metros quadrados de área construída. O mercado imobiliário seguiu estagnado no Rio de Janeiro em 2017, motivo pela qual a Tegra decidiu concentrar seus lançamentos em São Paulo, onde foram apresentados sete novos empreendimentos, com um Valor Geral de Vendas (VGV) de aproximadamente R$ 900 milhões. Os índices de vendas dos lançamentos, especialmente nos três últimos meses do ano, superaram as expectativas. Um exemplo disso foi o edifício PIN Home Design: lançado em novembro de 2017, na região de Pinheiros, em São Paulo, o empreendimento encerrou o ano com mais de 70% de suas 160 unidades residenciais vendidas.

Aproveitamos também as oportunidades que surgiram em 2017 para recompor nosso banco de terrenos. A nossa desenvolvedora urbana (loteadora), criada em 2016, passará a ser operada sob a marca Tamboré, cujos direitos de uso foram adquiridos pela Tegra. Encerramos o ano com um banco de terras de pouco mais de 4 milhões de metros quadrados, dos quais cerca de 2,8 milhões de m2 já existentes na região de Tamboré/Santana de Parnaíba, em São Paulo, e outros 1,3 milhão de m2 relativos a três novas áreas adquiridas em 2017. Acreditamos que esse segmento, no qual já temos experiência operacional em outros países, oferece oportunidades interessantes, margens atrativas e riscos adequados, com foco em cidades menores, mas próximas aos principais grandes centros urbanos de São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Edifício Autoral, São Paulo.

PERSPECTIVAS

Nossa perspectiva para 2018 é uma gradual retomada do mercado. Essa recuperação já pôde ser sentida, especialmente no mercado de São Paulo a partir do último trimestre de 2017, e poderá ser acentuada com a redução das taxas de juros e índices de inadimplência. Continuamos otimistas com as perspectivas de uma regulamentação sobre a questão dos distratos, tema que é relevante para nosso negócio e que é objeto de um Projeto de Lei a ser apreciado pelo Congresso Nacional.

A nossa expectativa para 2018 é lançar 13 empreendimentos, sendo oito em São Paulo, três em Campinas e dois no Rio de Janeiro, correspondendo a um VGV total de R$ 1,5 bilhão. Prevemos entregar no ano mais de 2 mil unidades e 280 mil m2 de área construída.

No segmento de desenvolvimento urbano, devemos realizar dois lançamentos sob a marca Tamboré ao longo de 2018, nos municípios de Presidente Prudente e Barretos, no interior de São Paulo.

 

Edifício PIN Home Design – São Paulo
Edifício Praça Gaivota, São Paulo.
Edifício Fontano, Rio de Janeiro.
Edifício Vanguarda – São Paulo.
Edifício Home Design Pinheiros – São Paulo.